03 de março de 2021 às 12h57m
Nova CPI: Girão começa a coletar assinaturas para investigar gastos com a pandemia em todos os estados e municípios do País

A iniciativa é uma resposta a outro pedido de CPI, que tem como objetivo investigar as ações do governo Jair Bolsonaro no combate à Covid-19. Para o senador Eduardo Girão, possíveis irregularidades em estados e municípios também precisam ser apuradas pelos parlamentares

Após senadores articularem a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apure possíveis irregularidades do governo Jair Bolsonaro nas ações de combate à pandemia, o senador cearense Eduardo Girão (Podemos) começou a coletar assinaturas para ampliar o objetivo da medida. O parlamentar quer rastrear também possíveis irregularidades cometidas por estados e municípios. Segundo ele, nove senadores do seu partido já assinaram o novo pedido de CPI.

“O nosso pedido, que foi apoiado por toda a bancada do Podemos, é que não apenas a União seja investigada, mas estados e municípios também, para que a verdade venha à tona na maior amplitude possível. Será importante para sabermos das irregularidades que aconteceram em um momento de tanto sofrimento, quando milhares de pessoas estão morrendo por causa da falta de leitos de UTI. Temos fortes indícios de crimes de corrupção em entes federativos que receberam bilhões de reais em recursos federais para a pandemia”, afirma Girão.

Ele destaca que, só para o Ceará, no ano de 2020, teriam sido repassados R$ 4,9 bilhões para a Saúde e para medidas de combate à Covid-19, em 2020. “Existem indícios de desvios dos recursos para o enfrentamento ao novo coronavírus em alguns entes federativos, inclusive no Ceará, como no escândalo do Hospital de Campanha do PV em Fortaleza e o calote de centenas de respiradores por empresas ligadas à indústria da maconha ao 'Consórcio Nordeste'. O atual requerimento de CPI, da forma como está, impede a investigação dessas irregularidades e estamos querendo mais amplitude nessa investigação”, destacou.

A nova proposta é uma resposta à tentativa de criar uma CPI voltada exclusivamente para o Executivo federal, que tem sido alvo de críticas diante da demora na compra de vacinas, recomendação e compra de remédios sem eficácia comprovada contra a Covid, e boicote a medidas sanitárias, encabeçado principalmente pelo presidente Jair Bolsonaro.

O senador Tasso Jereissati chegou a cobrar urgência para a instalação da CPI da Covid - que já tem o apoio de 30 senadores -, após Bolsonaro provocar aglomerações no Ceará, durante visita na última sexta-feira. Para o tucano, a postura do presidente foi uma tentativa de “desmoralizar” medidas mais rígidas de combate à pandemia que acabaram de começar no Estado. Tasso chegou a dizer que "é preciso parar esse cara"


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001